Loading...
Volta ao mundo de Carro de 43 meses 2018-06-07T16:45:46+00:00

Em 2012 tivemos um sonho. Depois disso nossas vidas nunca mais seriam as mesmas!

0 dias
0 países
0 kms
0 kms

Seja bem-vindo ao portal da nossa volta ao mundo de carro.

Prepara-se para encontrar uma infinidade de informações, abordando desde quando tivemos a ideia da volta ao mundo lá em meados de 2012, passando pela escolha da rota, o planejamento e as nossas estatísticas.

Ao todo são mais de 250 posts escritos da estrada, ao longo de quase 4 anos vivendo dentro de um carro e passando por mais de 75 países. Ou seja, o que não falta são historias e aprendizado. Boa leitura!

Nossos Parceiros

Microsoft_Home

O inicio da Volta ao mundo de Carro

O dia da partida, talvez o dia mais difícil de todos… 4/Maio/2013

Como surgiu a ideia da Volta ao mundo de Carro?

O ideia da volta ao mundo de carro surgiu do encontro de inúmeros fatores em nossas vidas e seria mentira dizer que ele já existia há muito tempo em nossas cabeças.

Até pouco tempo antes da viagem dificilmente deslumbraríamos fazer uma viagem de carro mais longa do que São Paulo até o litoral paulista, eram raras as exceções.

Nossas discussões sobre o futuro eram sempre sobre a ideia de morar fora do Brasil, de preferência na Austrália, lugar em que morei dois anos e considero ideal para ter uma vida mais tranquila, segura e próxima da natureza.

Trabalhávamos sempre com a ideia de aos 35 anos (meus, por que sou um ano mais velho que a Rachel) começar os planos para essa nova etapa, ate lá trabalharíamos bastante, juntaríamos dinheiro e viajaríamos pelo mundo nas nossas férias.

Assim como fizemos nos últimos anos.

Tudo começou normal em 2012…

Continuávamos em nosso trabalho focados e comprometidos como sempre.  Em abril fui passar quinze dias na Costa Rica surfando e descansando com meus amigos.

E sempre acontecia um baque na volta ao trabalho mas, dessa vez, estranhamente, foi muito difícil. O trabalho no banco nos proporcionava uma qualidade de vida altíssima, tanto no dia-a-dia como nas viagens, mas estávamos questionando aonde aquilo tudo iria nos levar.

Eram quase dez anos de banco, tempo que gostamos muito do que fazíamos, mas entendíamos que daquele momento em diante seria mais do mesmo, não deslumbrávamos muitos desafios que não fossem ligados à carreira e ao dinheiro!

Sentimos a necessidade de começar um novo ciclo em nossas vidas, talvez com menos dinheiro e mais insegurança, porém com mais vida!

Um dia falando com um amigo sobre a exposição do Arthur Simões do Pedal na Estrada e contando sobre essas expectativas de buscar novos desafios fora do banco, ele comentou comigo sobre um casal que tinha dado a volta ao mundo de carro, que ele tinha o livro e iria me emprestar.

Nem esperei ele me emprestar, no mesmo dia comprei o livro “Challenging your Dreams”.

Esse é o primeiro vídeo que fizemos ainda no Brasil, com imagens dos preparativos em Setembro de 2012.

Olhei e não tive dúvida que era possível

Naquele momento a ideia ganhou forma na minha cabeça. Olhei e não tive dúvida que era possível, só precisava saber o que minha namorada achava da ideia. Contei no mesmo dia e ela gostou, disse que seria bacana e que toparia, mas não falamos de data específica, ficou como uma ideia para os próximos anos.

Porém na mesma semana eu tive um insight, a hora era agora ou não faríamos nunca. A cada ano que passa, involuntariamente, vamos ficando cada vez mais presos a nossa rotina, logo teríamos filhos, ganharíamos super promoções e o tempo passaria cada vez mais rápido!

Nada mudaria de verdade, trocaríamos o carro, o computador, uma ou outra coisa, mas o macro seria igual! Ainda éramos relativamente novos, não tínhamos filhos, tínhamos algum dinheiro guardado e ainda acreditamos que a viagem servirá de trampolim para novos caminhos profissionais.

Por do sol na Nicarágua

Estávamos em busca de mais momentos como este: pôr do sol na Nicaragua.

Agora não tinha mais volta

Daí em diante começamos a pensar como seria, quanto dinheiro precisaríamos, quem poderia nos ajudar e por onde começar. Nesse meio tempo contei para meus pais sobre nossa ideia e eles foram bem receptivos, mas acho que não entenderam que isso era para o ano seguinte, 2013.

Ficou uma ideia que isso aconteceria um dia, mas não tão cedo. Entramos em contato com alguns casais que fizeram essa viagem e começamos a correr atrás de um carro. Paralelo a isso, começamos a pesquisar preço de muitas coisas para montar um estudo de viabilidade.

Os gastos principais nessa fase seriam com acessórios do carro, itens para camping, investimentos de divulgação, documentos, burocracias, etc.

Fizemos também um roteiro usando o Google maps e conseguimos ter uma boa noção das distância que percorreríamos. Daí em diante foram inúmeras reuniões com diversas pessoas, ouvindo opiniões, críticas, histórias e fomos montando o projeto.

O nome “Viajo Logo Existo” foi relativamente fácil de encaixar no projeto, em 2011 eu fiz uma exposição de fotos sobre minha viagem para Califórnia e usamos esse nome. Ele foi perfeito para ocasião. Largar tudo, cair na estrada e existir!

A vida antes e depois da Volta ao mundo de Carro

Publicamos essa foto um mês antes de nossa partida. Antes e depois!

Foram dozes meses de muito aprendizado em 2012, antes de cair na estrada!

O objetivo da Volta ao mundo de Carro?

Definir um objetivo da Volta ao Mundo é algo que deveria ser simples e fácil, mas esse não é o nosso caso!  As pessoas perguntam qual é o nosso objetivo com essa viagem e nunca temos uma resposta pronta, na ponta da língua!

O objetivo da nossa volta ao mundo pode ser dividido em duas frentes, o lado pessoal e o lado profissional:

Do lado pessoal… para vocês entenderem melhor, o Viajo Logo Existo nasceu de uma necessidade nossa de mudar de vida. Mas do que ter um objetivo ou conquistar algo, estávamos buscando uma forma de mudar, de começar de novo, de ter a chance de ter uma vida mais simples, mais barata e talvez mais intensa!

Passamos os últimos anos de nossas vidas focando somente em nós mesmos, agora chegou a hora de ajudar os outros e nós mesmos!

A vida que tínhamos em São Paulo sempre foi ótima, mas estávamos preocupados com o que ela guardaria para nosso futuro. Vivemos os últimos anos em função do trabalho, do dinheiro, dos números e receamos ficarmos escravos disso no longo prazo.

O mercado financeiro foi ótimo para nós, mas achamos que chegou a hora de tentar algo novo, pelo menos por hora! Conhecer o mundo e suas diferentes culturas encaixou perfeitamente nas nossas expectativas de mudança, morar no carro e reaprender toda essa rotina do dia-a-dia seria perfeito para desapegarmos das rotinas da cidade grande.

Morar no carro vai nos expor de uma forma que nem conseguimos imaginar. Tudo isso sem falar nas pessoas que vamos encontrar pelo caminho, das situações que iremos viver, das diferentes línguas e costumes, das saudades dos familiares e amigos, da incerteza de como tudo isso ira transcorrer! Inúmeras incertezas tornarão nosso dia-a-dia mais intenso e imprevisível.

Por fim, nosso objetivo pessoal é nos tornarmos pessoas melhores, simples assim!

Do lado profissional… estamos deixando nossas carreiras de anos no mercado financeiro para empreender um negócio novo para nós dois. Investimos mais de 100mil reais somente nos preparativos da viagem (carro, equipamentos, cursos…) e acreditamos que essa quantia será facilmente gasta ao longo dos próximos 42 meses com nossos custos do dia-a-dia.

Não sabemos se iremos retornar para o mercado financeiro no futuro, por mais que acreditamos ainda ter as portas abertas.

Buscamos no Viajo Logo Existo o início de um negócio que possa gerar renda o suficiente para nossa sobrevivência no longo prazo, seja através da comercialização de fotografias e textos, palestras sobre organização, experiência de vida e assuntos do gênero, patrocínio, passando por livros, workshops e consultoria na área de viagem ou inúmeras outras oportunidades que iremos descobrir ao longo do caminho.

Iremos empregar todo o nosso conhecimento para garantir que esse caminho seja traçado com tranquilidade e sucesso.

*Texto escrito em Agosto/2012

Seis meses em nossa Volta ao mundo de Carro - Equador

Até pouco tempo antes da viagem dificilmente deslumbraríamos

Como vocês montaram a rota?

Escolher a Rota foi relativamente fácil, na verdade foi a primeira coisa que fizemos depois que decidimos realmente encarar o projeto. Isso foi um processo natural por que essa é uma das partes mais gostosas.

Com o auxílio do Google maps e de dezenas de sites de viagem fomos fazer a rota da viagem. Você vai procurando informações da próxima parada e quando percebe já está pensando muito longe de casa!

Essa parte alimenta a vontade de conhecer o mundo todo e te dá força para começar a correr atrás de tudo que envolve um projeto desse tamanho.

Colocando a mão na massa

Como gostamos de viajar desde pequenos, sabíamos muitos lugares que gostaríamos de ir na ponta da língua. Em alguns casos, lugares que gostaríamos de voltar também.

Com o auxilio do Google maps e uma planilha de Excel você consegue ter uma boa noção da quilometragem total da viagem. Demora um pouco para você copilar todos os dados, mas o gostoso é você já ir pesquisando o que tem de bom para fazer em todas essas cidades do caminho.

Outro ponto importante é considerar pontos para dormir, comprar comida e abastecer o carro no itinerário. Isso ajuda a trazer uma ideia de segurança no trajeto.

Manter uma média diária de quilometragem baixa é aconselhável, vimos alguns casais que rodaram 150km na média durante a viagem de volta ao mundo. Parece pouco, mas existem trechos que você leva horas para fazer esses tais 150kms.

Nossa média acabou ficando em 124km por dia. Aprendemos que a melhor forma de baixar os gastos diários é dirigir pouco por dia. Os custos de comida e hospedagem você consegue diminuir. Já o custo do litro de diesel você só consegue dirigindo menos!

  • Evite dirigir a noite (dica importante) – Uma boa ideia também é evitar dirigir durante a noite, por uma questão de segurança. Sem falar que a noite muitos lugares que são legais, no escuro parecem becos abandonados, rs! Principalmente porque os campings são fora da cidade geralmente, e isso não causa uma boa impressão do local. Acho que isso ajuda a evitar boa parte dos problemas que podem ocorrer. Chegar a noite a uma região que você não conhece, com pouca referencias da onde deve-se ir e pouco combustível por exemplo, pode ser uma fonte de stress desnecessário para o casal! Sem falar que o carro pode te deixar na mão! Muito risco para pouco retorno.
  • Estude a fundo os lugares – depois de feito o esboço da rota é importante verificar a situação geopolítica de cada região. O país está em guerra? Sua nacionalidade precisa de visto? É possível entrar com o seu carro? Nesse último assunto, cada país tem um processo particular para a entrada do carro em seu território. Muitos exigem o “Carnet de Passage”, outros o seguro Carta Verde e outros, nem um nem outro, mas muitos formulários preenchidos.

É muito importante o seu veiculo estar no nome do condutor. Ele não pode estar financiado, ao menos que você tenha uma carta do banco autorizando. O que deve ser bastante chato consegui-la.

O livro “Overlanders Handbook: Worldwide route and planning guide” é uma ótima dica para todas as dúvidas referentes a viagem.

Acampando no deserto do México

Mais um dia em nossas vidas: deserto da Baja California no México – Jan/2014

Essa foi a rota escolhida em 2013

Depois de quase dois meses direto, trabalhando durante o dia e desenhando a rota nas horas que sobravam, chegamos nesse desenho abaixo.

Somamos 70 países, passando por 5 continentes e dirigindo do Brasil até a Austrália praticamente! Ao todo seriam cinco travessias marítimas e mais de 100.000 km dirigidos.

Confesso que hoje olhamos para ela e apesar das mudanças ocorridas (ver texto abaixo), achamos que foi uma boa rota!

Abaixo vamos falar um pouco mais sobre os lugares e o porque ela acabou mudando um pouco!

O mapa da nossa Volta ao mundo de Carro

Começa em São Paulo e depois é só seguir a linha vermelha até a Australia!

Mesmo com muito planejamento, em uma viagem com está magnitude, nem sempre as coisas saem como previsto.

Mudanças são bem-vindas, sempre!

Ao longo da viagem você aprende muita coisa. Não importa o quanto você planejou. Por isso tivemos que adaptar a nossa rota aos desafios que surgiam ao longo do roteiro. Abaixo segue a lista das principais alterações e dúvidas que as pessoas tinham em relação a escolha dos destinos!

Mudanças e adaptações na América

  • Por que não fomos para a Bolívia? Decidimos não visitar a Bolívia e sempre nos perguntam o motivo. Na época que saímos, tudo que ouvimos de dirigir na Bolívia não era legal. Lemos que havia problemas para estrangeiros comprar combustível no país, que a policia era muito corrupta e a questão da segurança não muito animadora. A última coisa que queríamos era ter problemas logo no começo da viagem. Sem falar que a Bolívia está aqui do lado e sempre será fácil pegar um avião e ir até lá.
  • Cadê o Canadá e o Alasca? Decidimos não ir além da região sul do Estados Unidos por conta do frio. Chegamos no país em fevereiro, fim do inverno e mesmo assim ainda estava bastante frio. Pelo menos para nós. O problema não é a temperatura durante o dia, mas sim durante a noite. No Grand Canyon, por exemplo, pegamos agradáveis 20 graus de dia e negativo durante a noite, impossibilitando dormir na barraca. Assim, dá para dormir, mas muito desagradável. Outro ponto também é que se escolhêssemos curtir o verão no Alasca e Canadá, depois pegaríamos muito frio na Europa.

Mudanças e adaptações na Europa

  • Envio do carro – Nosso roteiro na Europa foi completamente alterado. Estudando descobrimos que enviar o carro dos EUA para Portugal era mais caro e mais demorado do que enviar para a Holanda ou Bélgica. Optamos por enviar para Rotterdam na Holanda, e de lá, pensar como exploraríamos ao máximo o velho continente.
  • 180 dias no Schengen – Um outro ponto que achávamos que seria mais fácil de resolver era sobre a extensão dos 90 dias de visto para explorar a região do Schengen. Conseguimos a extensão na Alemanha no último dia e assim ficamos 180 dias nessa região da Europa.
  • Pulo até o Marrocos + visto novo – No sul da Espanha, aproveitamos a proximidade e demos um pulo de 18 dias até o Marrocos. Na volta cobrimos a costa sul da Espanha, sul da França, Suíça e então seguimos até a Inglaterra. Lá recebemos um novo visto de 180 dias para o Reino Unido. Ficamos mais de 30 dias em Londres aproveitando a cidade, trabalhando no segundo livro da Europa e acertamos o envio do carro de navio para África do Sul.

Irlanda e o restante do Reino Unido

Colocamos nosso carro dentro do container para a África do Sul e com tudo meio resolvido compramos uma passagem de avião para a Irlanda. Lá alugamos um carro e dirigimos até a Irlanda do Norte. Depois voamos para a Escócia (que lugar lindo…). Ainda conseguimos visitar o País de Gales e assim conhecer todos os países do Reino Unido.

Hora de seguir para a África, mas no caminho ainda demos uma passada nos Emirados Árabes e conhecemos Dubai e Abu Dhabi.

Ano novo em Londres em 2014/15

Curtindo o Ano novo em Londres, enquanto o carro seguia de navio para a África – 2014/2015

Nossa rota pela África

Chegamos ao continente africano no final de Fevereiro de 2015, como havíamos planejado no começo da viagem. Desembarcamos em Johanesburgo na África do Sul depois de quase 3 anos na Volta ao mundo de Carro.

Após receber nosso carro no porto de Durban seguimos sentido Cidade do Cabo. De lá para o norte onde cruzamos nossa primeira fronteira com a Namíbia. De lá seguimos para a costa leste passando por Botswana, Zimbábue, Zâmbia, Malaui e Tanzânia.

Na Tanzânia, ou melhor, na ilha de Zanzibar, foi onde reencontramos o oceano indico.

Como já havíamos especulado, existia uma chance de incluirmos o Quênia, Ruanda e Uganda em nosso itinerário, e foi o que fizemos. Também incluímos de uma rápida visita a Republica Democrática do Congo para ver os gorilas da montanha.

Colocamos nosso carro dentro do container na cidade de Mombassa e enquanto ele seguia para a Índia, aproveitamos para fazer uma visita a Etiopia.

Nosso plano original era enviar o carro para a Índia em Set/2015, mas com a crise pegando forte no Brasil, o real se desvalorizando, optamos por ir mais devagar, gastar menos e enviar o carro somente em novembro de 2015.

Mesmo enviando o carro para a Ásia com alguns meses de atraso, mantivemos a data de termino desta volta ao mundo de carro para o final de 2016.

Acampando no Quênia com nosso carro

Fazendo nosso almoço em algum lugar no interior do Quênia na África.

Nossa rota pela Ásia

Chegamos na Ásia pela cidade de Mumbai na Índia. De lá dirigimos até Nova Delhi de onde viajamos de avião até o Nepal. Seria muito complicado ir dirigindo e também não queríamos ficar tanto tempo na região. Cruzamos a Índia toda até Mianmar e então cruzamos todo o sudeste asiático até a Malásia. No trajeto cruzamos Tailândia, Camboja e Laos.

Ao todo essa etapa inicial na Ásia levou seis meses.

Como o transporte aéreo na Ásia é muito acessível, optamos por deixar o carro na casa de um brasileiro em Kuala Lumpur, capital da Malásia e viajar de avião para China (Hong Kong e Macau), Taiwan, Coreia do Norte, Cingapura e Indonésia e Vietnã.

Os dias que ficamos na Coréia do Norte

Até a Coreia do Norte acabou entrando no roteiro. O carro ficou na Malásia, na casa de um brasileiro.

Nossa rota pela Oceania

O plano inicial era enviar o carro da Malásia ou Cingapura para a Austrália, para Perth e então cruzar o país todo e de algum lugar da costa leste enviar o carro de volta para o a Brasil.

Contudo como os custos de envio são altos, consideramos o plano de não enviar o carro para a Austrália, e em vez disso, pegar um avião para o país e alugar um carro para fazer a costa leste. Sem falar que teríamos problemas para entrar com nosso carro na Austrália, o país é muito zeloso com importação de bichos e pragas e nosso carro fatalmente ficaria em quarentena, atrapalhando nossa jornada.

Ainda incluímos a Nova Zelândia, também de avião.

Ao todo ficamos algo como 60 dias pela região, muito menos do que havíamos planejado inicialmente, mas faz parte.

Ficamos 60 dias na Oceania e não vemos a hora de voltar!

Os posts da nossa viagem pelo mundo!

Ao longo de quase 4 anos viajando o mundo não faltaram historias em nossas vidas! Por isso escrevemos mais de 250 artigos ao longo da viagem, sempre contando sobre os lugares que estávamos passando, visitando, os problemas, os desafios…

Clique aqui e veja todos os posts da volta do mundo de carro

Nossos Parceiros

Microsoft_Home

Deixe seu comentário! Queremos sua opinião.

Queremos te ajudar a viajar ainda mais!

Receba nosso conteúdo gratuito
Acreditamos que juntos chegaremos mais longe e é por isso que disponibilizamos e-books, guias e planilhas gratuitas para vocês, seguidores do Viajo logo Existo
Clique aqui para confirmar
close-link
Receba nosso conteúdo gratuito
Acreditamos que juntos chegaremos mais longe e é por isso que disponibilizamos e-books, guias e planilhas gratuitas para vocês, seguidores do Viajo logo Existo
Clique aqui para confirmar
close-link
shares