Rússia

Conhecida pela sua imensidão territorial, pela vodka e pelo frio, a Rússia vem aumentando o turismo de forma rápida após o período soviético. Um país que faz parte da Ásia e da Europa ao mesmo tempo e tem fronteira marítima com o Japão e com o Alasca… acredite, você se encantará a cada metro quadrado.

São palácios gigantescos, jardins imensos, catedrais belíssimas, bons restaurantes e espaços culturais de referência. A Rússia mexe com o nosso imaginário com sua mistura de clássico com exótico. Sua capital, Moscou, é uma cidade grande, moderna, cosmopolita, rica em cultura, história e ostentação.

Algumas pessoas acreditam que o país é frio e perigoso pela dificuldade do alfabeto e da cultura, mas você pode se surpreender. As cidades são bem cuidadas, com transporte eficiente, atrações interessantes e pessoas atenciosas.

Tudo isso faz com que a Rússia seja um dos países mais visitados do mundo com lugares incríveis para conhecer. Anima em conhecer?

Nossos Parceiros

Logo Microsoft - Parceiro
Logo Smiles - Parceiro
Logo Copa Airlines - Parceiro
Logo Software One - Parceiro

As belezas de Moscou em uma tarde nublada de verão

Informações úteis

Capital: Moscou
Moeda: Rublo Russo
Idioma: Língua Russa
População: 144,3 milhões
Requer Visto: Não
Requer Vacinas: Não
Eletricidade: 220 V
Código telefônico: +7
IDH: 0,804 (49º)

Quando ir a Rússia

O clima da Rússia é de predominância continental, mas acaba sendo atravessado por quatro climas distintos: ártico, subártico, temperado e subtropical. No geral as estações são bem definidas. O inverno é longo e com neve, a primavera é amena, o verão é curto e quente e o outono chuvoso.

Alta temporada (Junho, Julho e Agosto): De Junho a Agosto a Rússia recebe vários turistas por conta do verão e das férias. Espere por temperaturas amenas e bastante sol, com mínima de 13°C e máxima de 23°C. Nessa época do ano acontecem as famosas noites brancas quando o sol demora a se pôr deixando as noites com cara de dia. Muitas atrações e festivais acontecem.

O ponto negativo é que os preços sobem e os lugares ficam lotados, resultando em filas. Mas as condições climáticas favorecem para aproveitar melhor a viagem, caminhando pela cidade e conhecendo os pontos turísticos e as atrações que o país oferece. De qualquer forma não se esqueça, você está na Rússia, e mesmo no verão, leve pelo menos um bom casaco.

Média temporada (Abril, Maio e Setembro a Novembro): Nos meses que marcam o Outono (Setembro, Outubro e Novembro) as temperaturas são mais amenas, sem o frio do Inverno e sem o calor do Verão, variando entre a mínima 3°C e a máxima 9°C, com bastante chuva. As folhas ficam amarelas, caem das árvores e os frutos começam a aparecer, essa época é bem marcante na Rússia.

Já entre Abril e Maio a Primavera chega e o sol mostra a cara com mais frequência, variando entre 1°C e 10°C. A grama, as árvores com folhas e os lugares voltam a ter cores. É uma época legal para quem não quer pegar a alta temporada, com o país cheio e para quem não quer enfrentar o frio.

Baixa temporada (Dezembro a Março): As temperaturas caem, a neve começa a cair e o sol se põe por volta das 16h30. Se você não gosta de frio, nem pense em visitar o país durante os meses de Inverno, pois as temperaturas vão de -9°C a -19°C, ficando mais difícil se locomover e conhecer as atrações. Por outro lado as tarifas dos hotéis e passagens caem nessa época.

Melhores Meses: A melhor época para conhecer o país é no fim da Primavera e no Verão, de Maio a Setembro.

Como chegar ao Rússia

Direto do Brasil não existem voos para a Rússia. É preciso ir para alguma capital europeia e de lá pegar um avião para Moscou ou São Petersburgo. Moscou é a principal porta de entrada do país e é servida por três aeroportos. A principal empresa de aviação do país é a Aeroflot e todas as grandes companhias aéreas europeias voam para o destino além de Qatar, Etihad, Singapore Airlines e Emirates.

Outra alternativa é o trem, que conecta algumas cidades da Europa a Moscou, mas essa não é a opção mais barata e rápida dependendo do ponto de partida.

Conexão entre os aeroportos e a cidade se dá por trem, ônibus, metrô e shuttle em ônibus em faixa exclusiva. O único aplicativo de navegação que funciona bem é o YandexMaps, é possível rodar a cidade inteira com o tradutor ligado e funcionando perfeitamente.

Transporte no País:

Uber: Esqueça os táxis tradicionais na Rússia, pois por lá esse serviço é bem caro. Não existe taxímetro e o valor deve ser combinado antes, então os taxistas abusam dos turistas. A melhor opção é o aplicativo Uber, porque o valor é mais barato, os carros são novos e possuem adesivos com o logo da Uber. Do aeroporto já pedimos um para irmos para nosso hotel no centro de Moscou.

Trem: Os trens de alta velocidade correm entre os municípios da Europa e atualmente funcionam entre Moscou, São Petersburgo, Helsínque e Nizhny Novgorod. Eles são chamados de Sapsan ou Allegro e existem de 5 a 10 partidas diárias entre Moscou e São Petersburgo e a viagem dura quatro horas. Para adquirir as passagens, basta acessar o site oficial das Ferrovias Russas.

Car Pooling: CarPooling consiste em compartilhar um veículo e suas despesas em uma viagem entre vários passageiros. É uma solução econômica com possibilidades de conhecer novas pessoas e uma alternativa para ajudar o meio ambiente. Basta acessar o site que oferece o atendimento, informar a data, o destino e as opções de carona irão aparecer. O Blabla Car é conhecido em toda a Europa e também funciona no país.

Metrô: Antes de qualquer coisa vale ressaltar que as estações de metrô na Rússia parecem mais galerias de arte do que apenas estações. Com certeza você vai ficar encantado(a). Circula diariamente, das 6h às 1h, e no total são 12 linhas em funcionamento. É o meio de transporte mais eficiente de Moscou, mas muitas pessoas ficam inseguras porque não existem placas e mapas em Inglês, então uma dica é utilizar o aplicativo Index Metro. Por lá dá para planejar os itinerários.

Ônibus: Ao contrário do metrô, os ônibus não estão expostos em qualquer lugar, então essa é uma opção para os mais aventureiros. É preciso perguntar e se informar, pois é um meio de transporte confuso para quem visita o local. Em São Petersburgo alguns pontos de ônibus são marcados com a letra ‘A’. Nós usamos bastante em São Petersburgo usando o aplicativo do Google Maps e deu tudo certo.

City Pass para o Transporte: Dinheiro vivo quase não é mais usado nos meios de transportes (mas ainda são aceitos), então é interessante investir em cartões para facilitar a locomoção. Existem diversas opções como o Cartão Troika, Ediny, o ‘Bilhete Diário’, ‘Tudo por 90 Minutos’ ou pagamentos via celular.

Navio / Barco / Cruzeiro: A estação de metrô Belorusskaya está próxima ao Rio Moscou e dali saem barcos turísticos. O rio cruza o coração da cidade e o passeio se torna uma city tour. Dá para fotografar o Kremlin, a Catedral de São Basílio e o Monastério de Novodevichy. Existem dois tipos de passeios com o mesmo percurso, um vai direto e o outro realiza paradas. Várias empresas realizam o serviço. São Petersburgo é conhecida como a Veneza do norte, então, se prepare para também curtir a cidade de barco.

Acessibilidade: A Rússia não é um país muito adaptado para quem necessita. Sendo sede da Copa do Mundo 2018, eles tomaram algumas providências com rampas, piso tátil, catracas com mais espaço e guias para orientação.

Momento emocionante na Praça Vermelha em Moscou

Hospedagem na Rússia

Uma curiosidade e questão burocrática da Rússia referente à hospedagem, é que você precisa entrar no país já com seu hotel reservado. Na capital você encontra uma boa variedade de acomodações, desde as mais simples até as mais sofisticadas.

E como todos nós sabemos, para um lugar legal, é necessário investir. É importante ficar atento(a) às temporadas, principalmente o verão que costuma ser mais cara que as outras. Pesquise e reserve com o máximo de antecedência que conseguir.

Na Rússia descobrimos um novo tipo de hospedagem, os mini-hotéis. São apartamentos da época soviética, que tinham cozinha compartilhada e que não tinham como virar apartamentos residenciais. Como eles eram muitos e havia um déficit de hotéis no centro da cidade, eles acabaram virando pequenos hotéis, alguns são um pouquinho melhores que hostels.

Hotel até 30 usd: Em Niznhy Novgorod, o Joy Hotelé uma boa opção de hospedagem que fica a cinco minutos a pé do Kremlin. Os quartos possuem ar-condicionado, televisão, micro-ondas e chaleira elétrica e o café da manhã é servido no quarto se pedido.

Hotel até 70 usd: Localizado no centro de São Petersburgo, o Tuchkov Hotel at the Palace Squareé uma ótima opção. Fica apenas a três minutos do Museu Hermitage e a 18 km do Aeroporto Internacional de Pulkovo. O buffet de café da manhã é servido gratuitamente. Disponível Wi-Fi, televisão nos quartos, ar-condicionado e geladeira. Banheiro privativo com secador de cabelo e roupões de banho.

Luxo: O Moscow Marriott Royal Aurora Hotelestá localizado no centro da cidade de Moscou, próximo a Praça Vermelha e ao Teatro Bolshoi. Oferece acomodações espaçosas, com serviço de quarto, cofre, mini-bar, Wi-Fi, Dvd Player, restaurante, espaço fitness e piscina interna.

Airbnb e Couchsurfing:

Para quem é fã da economia colaborativa, o Airbnb e o Couchsurfing são ótimas ferramentas. O Airbnb é uma plataforma em que você pode alugar tanto um apartamento ou casa, ou somente um quarto na casa de alguém. Tudo é feito pelo site e de forma bem segura.

Já o Couchsurfing é ainda mais ousado e alguém literalmente te oferece o sofá da casa para você dormir. O sistema oferece hospedagem na casa de moradores na cidade em que deseja.

Nas duas plataformas você precisa se cadastrar e fazer tudo pelo site. Em ambas plataformas é possível conversar com o proprietário e verificar sua reputação. O Airbnb é um serviço pago, quase um serviço de aluguel. Já no Couchsurfing, os anfitriões oferecem um espaço em suas casas sem receber nada em troca e você tem a chance de viver como um local do lugar que está visitando.

Segue um desconto para quem ainda não é cadastrado no Airbnb, só clicar AQUI.

Quanto custa um hotel em Moscou?

Coloque uma ideia das datas e faça uma pesquisa! Depois clique em qualquer hotel do mapa abaixo para ter um ideia…

Booking.com

O que levar para Rússia

Escolher o que levar na mala pode parecer simples, mas alguns detalhes precisam ser levados em consideração. Praticidade, leveza e resistência são itens que precisamos levar em conta, além da época que você for conhecer o país. E não se esqueça dos itens básicos como dinheiro, cartão, documentos, remédios, acessórios pessoais, câmera, cabos e carregadores.

O que levar no Verão: No Verão não espere por temperaturas mais altas do que 25°C. Nessa época é provável que as noites sejam mais frias e com vento, registrando uma média de 15°C, além de ser bastante comum as chuvas durante a estação. Então se previna! Calça jeans, camisetas, sapatos confortáveis, casacos corta vento e capa de chuva são ótimas opções. Leve pelo menos um bom casaco.

Alguns lugares não permitem entrar de shorts, por isso é importante levar alternativas como saia longa e calça de tecido fino para não passar calor. Invista em calçados confortáveis, pois a maioria dos passeios são feitos a pé e não se esqueça dos óculos de sol. Por mais que não seja obrigatório, nas igrejas ortodoxas as mulheres geralmente estão com a cabeça coberta, então entre no clima e tenha sempre um lenço na bolsa para cobrir a cabeça.

O que levar no Inverno: O Inverno na Rússia é bem intenso, então invista em roupas mais pesadas. Blusas, calças e meias térmicas, blusas com gola alta e de lã, casacos, botas, gorros, luvas, cachecóis, calça jeans e legging.

Veja também:

Comidas imperdíveis

Apesar de estar aberta para a cultura ocidental, a culinária russa é muito influenciada regionalmente, mantendo a tradição com seus pratos típicos, forte em carboidratos e ensopados.

O nosso famoso estrogonofe veio de lá. Nós o ‘abrasileiramos’ com o arroz, mas tradicionalmente o prato é servido acompanhado de purê de batatas ou batata assada e frita.

#1: Pelmeni – Um dos pratos mais tradicionais da Rússia é uma espécie de ravióli recheado com carne e creme de leite fresco.

#2: Borscht – Sopa típica a base de beterraba com batata e carne. Servida quente com creme de leite russo para acompanhar.

#3: Bliní – As panquecas russas são muito famosas, sua massa é feita de leite, açúcar, gemas, manteiga e sal. Com diversos acompanhamentos, os mais famosos são caviar, smetana (creme de leite russo) e geleia.

#4: Khinkali – Pastel feito a base de farinha de trigo, ovos, sal e água. Ele é cozido e recheado com carne ou cogumelo.

#5: Frango à Kiev – Um dos pratos mais famosos da Rússia, feito com peito de frango recheado com manteiga e ervas finas. Pode ser servido empanado, frito ou assado.

Praca do Palacio

São Petesburgo é uma cidade linda e para muitos, é das mais bonitas da Europa inteira

Dicas e Curiosidades da Rússia

  1. Na Rússia quase ninguém fala Inglês.
  2. Os russos não tem o costume de pedir licença ou se desculpar.
  3. Cerveja só é vendida até 23h.
  4. Os russos comemoram o Natal no dia 7 de Janeiro.
  5. Os gatos são considerados animais sagrados.
  6. Normalmente os banheiros são divididos em dois cômodos, um com pia e privada e outro com banheira e chuveiro.
  7. As cédulas russas possuem marcações em braile para deficientes visuais.
  8. Existe uma crença de que a Rússia abriga, pelo menos, 15 cidades secretas.
  9. Os russos são muito supersticiosos.
  10. A Rússia é o país com o maior número de países vizinhos.
  11. Existem por volta de 120 mil rios no país.

Top 10 imperdíveis

  1. Pegar o metrô de Moscou
  2. Andar pela Praça Vermelha
  3. Visitar o Mausoléu de Lênin
  4. Apreciar um espetáculo no Teatro Bolshoi
  5. Passear de barco pelos canais de São Petersburgo
  6. Conhecer o Museu da Vodka
  7. Apreciar a arquitetura de Moscou
  8. Assistir o desfile da troca da guarda no Monumento ao Soldado Desconhecido
  9. Realizar o cruzeiro noturno pelo rio Moscou
  10. Explorar o Bunker 42