Israel

Se você está procurando um destino tanto com um roteiro religioso, quanto com experiências culturais, históricas e gastronômicas, Israel é sua próxima parada.

Localizado no Oriente Médio, ao longo das costas leste do mar Mediterrâneo, fazendo fronteira com Líbano, Síria, Jordânia e Egito, o país oferece diversas paisagens naturais, museus incríveis, praias deslumbrantes, sítios arqueológicos, roteiros religiosos significativos para muitas religiões, arquiteturas indescritíveis e muita história.

Classificado em 11º lugar no ranking de destinos mais felizes do mundo, mistura tradição com modernidade. O país é surpreendente e tem muito a oferecer.

A Terra Santa tem histórias em seus muros, portas, oliveiras e em seus desertos. Você encontrará por lá um povo que tem esperança de um amanhã de paz.

Nossos Parceiros

Logo Microsoft - Parceiro
Logo Smiles - Parceiro
The North Face logo - Parceiro
Logo Copa Airlines - Parceiro
Logo Software One - Parceiro

Quem disse que Tel Aviv não tem belas praias?

Informações úteis

Capital: Jerusalém
Moeda: Novo Shekel Israelense
Idioma: Língua Hebraica
População: 8,7 milhões de habitantes
Requer Visto: Não
Requer Vacinas: Não
Eletricidade: 220v
Código telefônico: +972
IDH: 0,903 (22º)

Quando ir a Israel?

Localizado em uma região de desertos, Israel faz muito calor a maior parte do ano. Seco e quente no Verão, úmido com temperaturas amenas no Inverno. A melhor época para conhecer o país vai de Fevereiro a Maio e Setembro a Novembro. São meses em que as temperaturas não estão tão quentes e você escapa do frio e da chuva do Inverno de Jerusalém.

Por ser um país recheado de tradições religiosas, Israel possui muitas datas comemorativas e isso pode acarretar no número de turistas nas ruas e nos preços de hotéis e passeios, então é importante ficar de olho no calendário.

Alta Temporada (Julho e Agosto): Nos meses Julho e Agosto o país se encontra em alta temporada no seu alto Verão. Nessa época as atrações ficam lotadas e tudo fica bem mais caro. O calor é intenso, o tempo é seco e é excelente para quem quer curtir os destinos que possuam praia.

Média Temporada (Outubro e Novembro – Março a Junho): Para quem quer conhecer Israel entre os meses de média temporada, é importante ficar ligado(a) porque Setembro e Outubro são os meses mais importantes do calendário judaico, como as celebrações do Ano Novo e do Dia do Perdão. É uma boa época porque os turistas começam a esvaziar as cidades e tudo fica bem mais tranquilo.

Baixa Temporada (Dezembro a Fevereiro): O Inverno em Israel é ameno e úmido. O tempo é seco e mais fresco em regiões mais altas, como Jerusalém. Para quem não se importa em viajar no frio, é uma boa pedido porque os preços abaixam por ser baixa temporada e as principais cidades ficam mais vazias.

Melhores Meses: É preciso considerar o clima e o calendário religioso. Estudando isso, as melhores épocas para conhecer Israel são de Abril a Maio e de Outubro a Novembro. Assim você consegue desviar da alta temporada e pegará um clima mais ameno.

Como chegar a Israel?

Localizado no Oriente Médio, é preciso algumas horas de avião e em alguns casos pelo menos uma escala para chegar ao país. Atualmente essa é a melhor maneira de chegar a Israel: voando.

Nós brasileiros não precisamos de visto para entrar no país, só é preciso ter em mãos quando chegar na imigração, os comprovantes de viagem como passagens, reservas de hotéis etc.

Voos: Você pode optar por fazer escalas em aeroportos europeus como Istambul, Roma, Paris, Amsterdam e Frankfurt. Algumas opções de companhias aéreas que vão para Israel são: Turkish Airlines, Alitalia, Air France, KLM e Lufthansa.

Gett: Conhecido antigamente como GetTaxi, o Gett funciona como os aplicativos de táxi que conhecemos aqui no Brasil. É a maneira mais fácil e prática de se locomover em Jerusalém e Tel Aviv. É só realizar o download do aplicativo em seu celular e solicitar o carro informando seu destino.

Trem: A cidade de Tel Aviv oferece quatro estações: os trens chegam a Cesareia, Haifa, Jerusalém e ao Aeroporto Ben Gurion. As passagens podem ser adquiridas nos guichês das próprias estações ou nas máquinas automáticas disponíveis. É importante ressaltar que os trens não funcionam durante o Shabat, então é preciso ficar de olho nos horários.

CarPooling: Uma alternativa barata e ecológica, o serviço de compartilhamento de caronas é muito popular na França. Mais barato do que o trem e ônibus, é uma ótima maneira de compartilhar histórias e conhecer os locais. O BlaBla Car é o serviço mais popular na França. Basta entrar no site, se inscrever e escolher um assento dianteiro ou traseiro em um carro que já esteja indo para o seu destino.

Metrô: Na cidade de Haifa existe o único sistema de metrô em Israel e o menor do mundo, com apenas uma linha, seis estações e 1,8 quilômetros de extensão que conecta a área do centro da cidade. De Domingo a Quinta os trens circulam a partir das 6h até 00h, às sextas-feiras e aos feriados nenhum trem circula depois das 15h e aos sábados apenas a partir das 19h até 00h.

Ônibus: Os ônibus em Israel são confortáveis, novos, possuem ar condicionado e quase todos são acessíveis aos cadeirantes. Um letreiro luminoso e um aviso sonoro indicam em hebraico as paradas durante o trajeto. Os pontos de embarque possuem uma descrição do trajeto feito pelas linhas, para facilitar.

City Pass: O cartão eletrônico disponível em Israel é o Rav-Kav. Com ele não é necessário pagar as passagens em dinheiro. A maneira mais fácil de preenchê-lo é com crédito normal, conhecido como “valor acumulado”. Todas as empresas de ônibus e trem no país reconhecem esse cartão.

Navio/Barco/Cruzeiro: Em Haifa existe um grande porto, que é o ponto de partida para as excursões. Os cruzeiros oferecem um circuito pelos lugares descritos na Bíblia, com muita história.

Acessibilidade: A maioria dos ônibus em Israel possui acessibilidade aos cadeirantes para transporte. Existe um informativo chamado “Israel Acessível” disponível na internet para download. Um livreto com 22 páginas – em Inglês – com dicas para turistas com deficiência ou mobilidade reduzida. Além disso, agências em São Paulo possuem roteiros para cadeirantes irem à Israel.

Jerusalem em Israel

Muro das lamentações: a parte mais famosa de Jerusalem

Hospedagem em Israel

Israel é um país que possui atrações incríveis em diversas cidades. Sendo assim, muitos turistas optam por ficar andando pelo país, sem hospedagem definida. Por isso é importante se preparar para pesquisar e ter paciência para encontrar um local onde se hospedar.

Em Tel Aviv você pode ter mais facilidade em encontrar hotéis elegantes por ser o centro econômico do país, então a cidade atrai desde viajantes que vão a negócios, até turistas de férias.

Além das opções tradicionais, existe a possibilidade de se hospedar em hotéis que já são a própria atração, como os spas à beira do Mar Morto. Algumas opções são dentro de cavernas ou no meio do deserto.

Hotéis até 30 usd: O Addar Hotel possui uma ótima localização no centro de Jerusalém. Os quartos têm varandas e/ou janelas, alguns disponibilizam banheira de hidromassagem. Está localizado a 5 minutos a pé das muralhas da cidade velha e apenas a dois minutos a pé da Catedral de São Jorge.

Hotéis até 70 usd: Localizado no centro de Jerusalém, o Beit Shmuel oferece uma vista para a parte antiga da cidade e para a Torre de David. Os quartos têm televisão, frigobar, geladeira e comodidade para tomar café. Além da comodidade, o buffet de café da manhã é em estilo israelense.

Luxo: Se você está em Israel e quer se hospedar em algum lugar diferenciado, o The Jaffa, a Luxury Collection Hotel, em Tel Aviv, vai te proporcionar uma experiência incrível. Você terá acesso a academia, piscina ao ar livre, spa, comodidades para hóspedes com mobilidade reduzida, bar e café da manhã. Todos os quartos possuem uma casa de banho privativa com um chuveiro.

Airbnb e Couchsurfing: Para quem é fã da economia colaborativa, o Airbnb e o Couchsurfing são ótimas ferramentas. O Airbnb é uma plataforma em que você pode alugar tanto um apartamento ou casa, ou somente um quarto na casa de alguém. Tudo é feito pelo site e de forma bem segura.

Já o Couchsurfing é ainda mais ousado e alguém literalmente te oferece o sofá da casa para você dormir. O sistema oferece hospedagem na casa de moradores na cidade em que deseja.

Nas duas plataformas você precisa se cadastrar e fazer tudo pelo site. Em ambas plataformas é possível conversar com o proprietário e verificar sua reputação. O Airbnb é um serviço pago, quase um serviço de aluguel. Já no Couchsurfing, os anfitriões oferecem um espaço em suas casas sem receber nada em troca e você tem a chance de viver como um local do lugar que está visitando.

Segue um desconto para quem ainda não é cadastrado no Airbnb, só clicar AQUI.

Consulte o preço de um hotel aqui…

Booking.com

O que levar para Israel

Por ser um país religioso, as pessoas têm receio do que usar enquanto estão visitando a região. Caso não esteja em um bairro religioso, você pode usar as roupas que já estamos costumamos a vestir no dia a dia. Apesar de muitos árabes e judeus usarem trajes tradicionais, não existem grandes restrições para os turistas.

Apenas ao entrar em templos religiosos muçulmanos é exigido o uso de lenço para as mulheres e roupas que cubram o corpo, em respeito à cultura. Independente da sua religião é melhor apostar em roupas mais discretas em certos passeios. Dependendo do local, homens não podem entrar de bermuda e boné. Se estiver passeando pelos bairros dos judeus ortodoxos, aposte em roupas mais escuras.

O que levar no verão: Apesar do clima quente, evite roupas muito curtas, transparentes e justas em algumas regiões. Aposte em peças e calçados leves e confortáveis, sandália, chapéu, protetor solar, protetor labial, óculos de sol e roupa de banho caso queira visitar a praia.

O que levar no inverno: Essa época do ano não costuma ser muito rigorosa, mas se você está pensando em visitar o país no Inverno as roupas precisam ser mais quentes e longas, como jaqueta, moletom, cachecol, bota, gorro e guarda-chuva.

Veja também:

Comidas imperdíveis

A alimentação em Israel é muito rica e com uma grande variedade de pratos. Sua herança gastronômica resulta de muitas outras nações. Os sabores variam entre temperos de países do norte africano, dos vizinhos árabes e das nações às margens do Mediterrâneo.

Uma curiosidade é a cozinha Kosher, que acompanha a lei da religião judaica, impondo que carne e laticínios não podem ser misturados em uma única refeição, porco e frutos do mar são proibidos e peixes só podem ser consumidos se tiverem barbatanas e escamas.

#1 Falafel: Um dos pratos Israelenses mais famosos, feito de bolinhos fritos de grão de bico e especiarias, que podem ser misturados com condimentos como alho, cebolinha, salsa, coentro e molhos picantes.

#2 Homus: Purê feito de grão de bico cozido e amassado junto com pasta de gergelim, servido com azeite, temperos e salsinha. Em alguns casos também vai à mesa acompanhado de ovo cozido.

#3 Shawarma: Servido no pão de pita, com carne de cordeiro ou peru, verdura, legumes frescos, homus e tehina com molhos. Às vezes acompanha batatas chips.

#4 Sabih: Um delicioso sanduíche encontrado pelas ruas de Tel Aviv é feito com pão pita recheado com beringela frita e ovos cozidos. Pode acompanhar tomate, pepino, hommus e alguns molhos.

#5 Shabat: Shabat significa descanso. Por isso, neste dia os judeus não trabalham. “Jantar Shabat” é uma tradição. A mesa é arrumada com uma elegante toalha, com velas e pratos especiais. São feitas três refeições: duas se iniciam com o ‘kidush’, depois eles realizam uma lavagem ritual das mãos para o pão. O chefe da família recita Hamotzi e corta a primeira fatia. Cada um come um pedaço de chalá mergulhado no sal.

Falafel é uma das nossas comidas preferidas

Dicas e Curiosidades de Israel

  • Israel tem a maior taxa de empreendedorismo entre mulheres e pessoas com mais de 55 anos.
  • Foi o primeiro país a proibir modelos abaixo do peso.
  • O Mar Morto é o lugar mais baixo da Terra.
  • O território do país é muito pequeno. Você consegue atravessá-lo em duas horas.
  • O país ocupa a terceira posição no mundo em número de cidadãos que possuem diplomas universitários.
  • Israel tem duas línguas oficiais: hebraico e árabe.
  • Homens e mulheres prestam serviço militar.
  • Na escola as crianças aprendem a ler e a escrever em três idiomas: hebraico, árabe e inglês.
  • Todos os anos chegam cerca de 1.000 cartas em Jerusalém, endereçadas a Deus.
  • 97% dos israelenses são alfabetizados.

Top 10 imperdíveis

  1. Assistir ao pôr do sol no alto do Monte das Oliveiras, em Jerusalém.
  2. Tomar banho no Oásis de Gan Hashlosha National Park.
  3. Mergulhar no Mar Morto.
  4. Conhecer o Muro das Lamentações.
  5. Visitar o Jardim de Baha’i.
  6. Visitar um jardim botânico no meio do deserto.
  7. Fazer uma trilha antes do nascer do sol em Masada.
  8. Passear nas grutas de Rosh Hanikra.
  9. Visitar a Basílica do Santo Sepulcro.
  10. Conhecer o museu e memorial às vítimas do Holocausto.