Home – América do Norte – Estados Unidos

Os incríveis parques Yosemite e Death Valley

Já que estávamos na Califórnia queríamos visitar os incríveis parques Yosemite e Death Valley. Mesmo sendo nossa segunda visita ao Yosemite National Park.

Tínhamos pesquisado alguns campings para ficar próximo ao parque ou até mesmo dentro dele, mas sem muita certeza do que fazer…

Dirigimos até a cidade de Mariposa, que é uma base, antes de chegar ao parque Yosemite.

Fica algo como quatro horas de Santa Cruz e aproveitamos a pequena cidade para fazer mercado para os próximos dias e fazer uma visita ao centro de informações.

Aliás fomos muito bem atendidos e orientados. Seguimos para o parque em busca de alguns campings e para tentarmos aproveitar o fim do dia…

Aqui vai uma coisa interessante que descobrimos, os campings que tem dentro do parque são somente para barracas, que não é nosso caso.

Sem falar que devido a presença corriqueira de ursos no parque, toda e qualquer comida deve ser muito bem guardada. Na entrada do camping é possível ver várias fotos de ursos dentro de diversos carros roubando comida. Hilário se não fosse um animal gigantesco e perigoso!

É possível encontrar algumas hospedagens dentro do parque, porem são mais caras do que queríamos pagar e optamos por ficar em um camping que fica fora do parque, no caminho e custava 20 dólares por noite.

Frio, mais felizes da vida no Yosemite.

Parque nacional Yosemite

O momento que mais gosto de fotografar natureza é geralmente após o pôr-do-sol, algo como vinte minutos depois do sol se por totalmente. Nesse momento o céu geralmente ganha uma cor linda e ilumina as nuvens, excelente luz para fotografia, porém um tripé é necessário devido a baixa luz.

Sabendo disso aproveitamos o máximo do parque, dirigindo por boa parte do Yosemite Valley, algumas cachoeiras e lindas paisagens.

Para finalizar o dia dirigimos para o Tunnel Point, talvez o lugar mais fotografado do parque e esperamos pacientemente dentro do carro até o sol se pôr completamente, o que não demorou muito…

Fizemos algumas fotos, curtimos o momento e fomos embora para o camping! Nosso plano era retornar ao parque na manhã seguinte e aproveitar mais um pouco…

Na manhã seguinte resolvemos mudar os planos. Nosso gasto em fevereiro foi muito alto devido a nossa ida para Las Vegas com um casal de amigos. Acabamos indo em alguns shows do Cirque du Soleil e custou caro!

Agora estamos economizando ao máximo e optamos por ficar parados totalmente no camping aquele dia, tínhamos comida e tudo mais e tiramos o dia para trabalhar em algumas coisas que estavam meio atrasadas no Viajo logo Existo.

Nosso carro do Brasil bem na foto na California.

O que não faltam são paisagens como esta no Yosemite.

O frio do Lake Tahoe

Nosso plano inicial era seguir do Yosemite direto para o Death Valley e já começar nossa pernada sentido costa leste dos Estados Unidos. Porém devido ao intenso inverno do hemisfério norte, boa parte das altas montanhas ainda estavam cheias de neve e por conta disso as estradas fechadas. Isso acabou nos forçando a dar uma boa volta para chegar ao nosso destino.

Como a partir do Yosemite tudo seria novo para nós, decidimos dirigir até a charmosa cidade South Lake Tahoe, 300km ao norte de onde estávamos.

Tahoe é famoso por suas pistas de esqui e por sua paisagens estonteantes. O que não sabíamos é do frio que faz por lá!

A cidade fica a mais de 2.000 metros de altitude, deixando o clima que já estava frio, quase insuportável!

Chegamos na cidade antes do sol se pôr, mas já vimos que seria impossível acampar, havia muito vento, era difícil até ficar fora do carro! Optamos por ficar duas noites por lá e tentar conhecer um pouco da região. Valeu a pena, lindas paisagens! Mas o ponto alto da semana seria nossa passagem pelo Death Valley nos próximos dias!

Acampando pela California.

Apaixonados pelo Death Valley

Somos suspeitos para falar do Death Valley pois desde a primeira vez que visitamos o Deserto do Atacama em 2011 ficamos apaixonado por desertos, pela paz desses lugares, pelas cores, pelas formas.

Chegamos ao parque no fim de tarde, ele é gigante como todo bom deserto e optamos por acampar no camping Stove Pipe Wells. Custou 14 dólares e mais 5 se você quiser tomar banho.

Estava relativamente cheio de gente, afinal era semana de férias nas escolas e também uma das melhores épocas para visitar o parque, durante o verão as temperaturas passam diariamente dos 35 graus, podendo chegar a mais de 45 em alguns dias, tornando impossível a visita.

Tiramos nossas cadeiras do carro, montamos a barraca e ficamos ali jogados lendo os guias que tínhamos pegado no centro de visitante. Aliás foi onde pagamos 20 dólares para poder ficar até uma semana no parque… O dia estava quente, abafado, então nos jogamos na sombra e deixamos o tempo passar! A noite era de lua cheia, linda!

No dia seguinte acordamos sem pressa, quando o sol começou a fritar a barraca forçando-nos a levantar…

Seguimos parque adentro passando por lindas paisagens até o Badwater Basin, que é o ponto mais baixo da América, a 81 metros abaixo do nível do mar. Só isso já o faria um lugar interessante, mas nele existe um pequeno salar, muito charmoso! Caminhamos um pouco por ele, tiramos algumas fotos, fizemos alguns vídeos e quando vimos já era quase três da tarde.

Com fome achamos algumas mesas dentro do parque e paramos para cozinhar algo e ver o dia passar. Armamos nossa cozinha, a Chel fez um guacamole de entrada e uma boa pasta para matar nossa fome.

Nosso destino era o camping Texas Springs em Furnace Creek.

Chel cheia de charme e alegria.

Usando o carro para se esconder do sol no Death Valley.

Esse é um dos lugares mais quentes do mundo no verão.

A noite no meio do deserto

O melhor do dia ainda estava por vir, o camping Texas Springs fica no meio de diversas dunas e tem uma atmosfera muito legal, bem aquela coisa de filme americano, sabe?

Subimos uma pequena duna para ver a lua cheia nascendo, inesquecível! Daquela região do parque ela nasce bem no meio das montanhas, criando um jogo de sombras maravilhoso.

Toda a vida no deserto que estava escondida naquele breu característico ganhou vida com a luz da lua, simplesmente um espetáculo! Voltamos para o carro, já passava das 9 da noite, sorte que tinha levado uma lanterna, alias sempre bom ter uma perto quando você está acampando.

O interessante desse camping é que ele não permite trailers com geradores, algo que faz muito barulho geralmente, portanto ali, naquele dia, a noite era silenciosa, somente era possível ouvir a madeira estalando em algumas fogueiras, algumas pessoas conversando baixinho e o vento quente cortando o vale…

Ficamos dentro da barraca com ela aberta e dava para ver as estrelas!

Na manhã seguinte nosso plano era dirigir para Las Vegas de onde seguiríamos sentido Flagstaff e então para a parte sul do Grand Canyon. Esticamos até o Dante’s Point, talvez o ponto mais alto do Death Valley proporcionando uma visão privilegiada de todo o vale da morte! Hora de seguir em frente!

Passamos três dias no Death Valley e posso dizer tranquilamente que foi uma excelente escolha, poderíamos facilmente ter ficado mais alguns dias por ali conhecendo todos cantos do parque, mas tínhamos que seguir em frente, fica a dica!

Nossa casa, nossa cozinha, nosso almoço.

Curtindo o pôr do sol e a tranquilidade do deserto.

Nossa casa e as estrelas do deserto.

Nossos Parceiros

Microsoft_Home

Deixe seu comentário! Queremos sua opinião.

Queremos te ajudar a viajar ainda mais!

Nossos guias de viagem
Seja o primeiro a receber os guias de viagens feito por quem já rodou o mundo inteiro atrás de dicas, curiosidades e muito mais...
Quero receber dicas...
                                                                                                                      *não leva nem um minuto...
close-link