Chegamos finalmente em Ushuaia na Patagônia!

Eu e o Leo já tínhamos visitado a cidade de El Calafate na Patagônia em 2010 mas não conhecíamos a famosa Ushuaia, no extremo sul do mundo. Desde o começo do VLE essa charmosa cidade estava no nosso roteiro.

Só mais uma cena cotidiana em Ushuaia, no extremo sul da Argentina.

Para quem leu o post de Rio Gallegos, sabe que existe alguns tramites de fronteira e estradas até Ushuaia. E com inverno se aproximando, tudo precisa ser seguido a risca. Nosso plano era fazer em dois trechos a viagem: uma até Rio Grande e depois até Ushuaia. Um aviso aos navegantes, a cidade de Rio Grande não está mapeada para o GPS Garmin.

Existem as ruas, mas nenhum serviço como hotel, posto de gasolina, etc.

Sem o GPS fomos direto no centro de informações, que estava fechado por ser baixa temporada. Mas tinha uma lista de hotéis na porta, tiramos uma foto com o celular e resolvemos o problema! Paramos em mais de dez hospedagens e estavam todos lotados por conta de um evento de motocross que havia na cidade. Mas não desistimos e encontramos onde dormir por um preço acessível!

Saímos cedo novamente, fizemos apenas uma parada em uma cidade bem chiquita chamada Tolhuin. Para conhecer a famosa Panaderia Union, dica dos nossos amigos brasileiros no Ushuaia. Apesar de ser famosa pelos chocolates vendidos por quilo, comemos algumas empanadas e aproveitei para provar uma de verdura e tudo estava ótimo.

Na saída da padaria, mais uma surpresa, estava nevando para nossa alegria!

Conforme nos aproximávamos de Ushuaia, mais neve aparecia no caminho!

Quase lá, falta pouco…

Conforme nos aproximávamos de Ushuaia, ficávamos mais surpresos com o caminho. Tudo é muito lindo, sem pressa aproveitamos para degustar os chocolates enquanto dirigíamos pelo Paso Garibaldi.  já estava tudo branco por conta da neve.

Era uma mistura de alegria, excitação e cautela pois era a primeira vez que dirigíamos com tanta neve! Quando chegamos na entrada da cidade com as placas de Ushuaia nem acreditamos!

Foi um sensação muito boa! Desde o Brasil vínhamos discutindo se conseguiríamos chegar ou não, e agora estamos aqui e o lugar é demais. Já estamos há trinta dias na estrada e chegar, não deixa de ser uma pequena vitória no VLE e a certeza que estamos no caminho certo! A cidade é super charmosa e como chegamos em um domingo a pista de patinação estava aberta.

Várias crianças brincando, neve por todos os lados, decidimos que vamos aproveitar pelo menos quatro dias.

Hora de registrar a nossa primeira vitoria no Viajo logo Existo: Ushuaia!

No fim do mundo…

Ushuaia é uma cidade turística e tem atividade para todos os gostos. Passeios de barco, trekking, escalar no gelo, pesca, cavalgadas, mergulho, vôos panorâmicos de aviões e helicóptero, bike, trenos puxados por cães, parques… Existe também uma vasta gama de hospedagem e restaurantes.

O centro de informações é bem ativo e te ajuda com tudo isso.

Passamos os dois primeiro dias no parque nacional, que fica no fim da Ruta 3. O lugar é super bonito, bem cuidado e bem sinalizado. No primeiro dia estava completamente nublado, mas mesmo assim fomos até o final da Ruta 3 cumprir nosso objetivo de chegar o mais ao sul possível. As estradas estavam cheias de neve e dependendo do carro que você está, será necessário correntes no pneu.

Na entrada do parque os guardas podem te ajudar com isso.

O Coyote se saiu muito bem e devagar conseguimos fazer todo o percurso sem correntes. Para finalizar o dia fizemos o famoso passeio do “Trem do fim do mundo”. Uma atração bem turística que leva  duas horas e conta toda a história do presídio que deu início a cidade no começo do século XX.

O trajeto era usado para levar os presos para cortar madeira para o sistema de calefação do presídio e ainda hoje é possível ver o cemitério de árvores.

Tem como não se apaixonar por este lugar?

Sol e beleza ímpares

Nosso segundo dia amanheceu com o tempo muuuuito melhor! O sol já começava a dar as caras e não tivemos dúvidas, voltamos para o parque para fazer todo o passeio novamente e valeu muito a pena! Era inacreditável como as paisagens haviam mudado, a cor trazia vida para as montanhas, lagos e vegetação do parque.

Ficamos encantados!

Passamos o dia inteiro no parque e ainda sobrou uma horinha para irmos até a beira do Glaciar Martial. Na verdade uma pista de esportes na neve, mas que lá em cima abriga um pequeno glacial, por ser baixa temporada o acesso estava fechado!

A noite depois de muito bate papo com dois brasileiros que conhecemos no hotel, a Cintia e o Andrei, simplesmente desmaiamos de cansaço.

Passeio de trenó

O terceiro dia em Ushuaia fizemos algo que devíamos ter feito no primeiro dia. Fomos conhecer o Martin, mais uma ajuda dos nossos amigos “Brasileiros em Ushuaia”. Ele nos ajudou com diversas dúvidas. O que valeu a pena foi a dica para ir até o Cerro Llanos del Castor, na Ruta 3, na altura do km 3033 conhecer o Alberto.

Mesmo fechado fomos muito bem recebidos e nos apresentou sua criação de cachorros de neve, Husky Siberiano, Husky do Alasca e Greyster… Todos usados para puxarem trenós em passeios turísticos ou em competições. Tudo muito legal e os cachorros muito bem cuidados! Recebemos o convite de voltar no dia seguinte cedo e fazer um passeio de trenó.

Adoramos e aceitamos na hora!

De volta a cidade o dia já estava escurecendo, por ser inverno o sol sai às 9:30hrs da manhã e por volta das 17hrs já está quase escuro. O dia passa rápido! A noite saímos para comemorar nossos trinta primeiros dias de viagem!

Agora faltam só 41 meses para acabar nossa volta ao mundo de carro!

Enfim chegávamos ao nosso último dia na cidade

Hora de ir embora, mas antes passamos pelo Cerro do nosso novo amigo Alberto para nosso passeio de trenó. Por estar chovendo tivemos que abortar, mas o Alberto fez questão de ligar os snowmobile para nos levar para ver onde os castores se escondem durante o inverno.

Adoramos o tempo que ficamos por lá, aprendemos muitas coisas sobre cachorros, neve, castores e natureza.

Agora era hora de tocar viagem para Punta Arenas e de lá seguir para o parque Torres del Paine. Tudo isso já no sul do Chile… Teríamos oito horas de viagem entre asfalto e ripio.

E mais 3 horas de ferry de Porvenir até Punta Arenas, cruzando o estreito de Magalhães.

Curiosidades de Ushuaia:

  • No centro de informações você pode carimbar “Ushuaia, a cidade mais austral no mundo” no seu passaporte, no mínimo diferente.
  • No centro o câmbio é muito ruim e conseguimos fazer um câmbio melhor no café de onde sai o passeio do Trem do fim do mundo (7,50 ARS x 6 ARS).
  • Os castores foram introduzidos no Ushuaia e como não há predadores viraram um problema e são mais de 150 mil. Enquanto estávamos lá estava sendo aprovada uma nova legislação permitindo a caça para usar sua carne como isca para pesca de caranguejos.

Inspire-se com nossos livros

Livro Viajo logo Existo Um ano na Estrada

Livro Viajo logo Existo Um Ano na Estrada (1)

R$ 65,00

Livro Viajo logo Existo no Velho Continente

Livro Viajo logo Existo no Velho Continente (2)

R$ 80,00

Livro Viajo logo Existo Um ano na África

Livro Viajo logo Existo na África Selvagem (3)

R$ 80,00

Livro Viajo logo Existo Um ano na Ásia e Oceania

Livro Viajo logo Existo Um Ano na Ásia e Oceania (4)

R$ 80,00

Nossos Parceiros

Logo Microsoft - Parceiro
Logo Smiles - Parceiro
The North Face logo - Parceiro
Logo Copa Airlines - Parceiro
Logo Software One - Parceiro

Deixe seu comentário! Queremos sua opinião.

Queremos te ajudar a viajar ainda mais!

Veja nossos guias de viagem