Estreito de Darien – o buraco da Panamericana

A famosa Rodovia Pan-americana, que interliga o sul do Chile com o Alaska, o extremo norte do continente americano, apresenta um único gargalo em toda a sua malha rodoviária.

O inexpressivo trecho de 87 quilômetros que separa a Colômbia do Panamá, o chamado Estreito de DarienDesde o primeiro post que colocamos no facebook falando sobre a nossa travessia de barco entre a Colômbia e o Panama, muitas pessoas nos procuraram para saber por que não fizemos esse trecho de carro, uma vez que existe ligação por terra entre os dois países.

O motivo tem nome: Estreito de Darien.

Fronteira Colômbia-Panamá segundo o Wikipedia:

A fronteira entre a Colômbia e o Panamá é uma linha sinuosa de 225 km de extensão, no sentido norte-sul, ao noroeste da Colômbia, que separa o país do Panamá. Também é a linha que separa a América do Sul da América Central no Istmo do Panamá.

No norte se inicia no litoral do Caribe, serra de Darién e vai até o sul por região pantanosa no litoral do Oceano Pacífico, serra e rio Baudó. Fica entre o departamento Colombiano de Chocó e a província panamense da Darién.

Veja nosso guia completo de dicas do Panamá!

O estreito de Darien segundo o Wikipedia:

O estreito de Darién (espanhol: Región del Darién ou Tapón del Darién) é uma grande pântano repleta de florestas separando Província de Darién, no Panamá, na América Central, da Colômbia na América do Sul. Mede pouco mais de 160 km (99 milhas) de comprimento e cerca de 50 km (31 milhas) de largura.

Construção de estradas por esta área é caro e o impacto ambiental seria gravíssimo segundo ambientalistas. O consenso político em favor da construção de estradas nunca surgiu. Consequentemente, não há ligação rodoviária através do Darién Gap ligação Norte / América Central com a América do Sul e é o elo perdido da Rodovia Pan-Americana.

O perigo do estreito de Darien

O estreito de Darien está sujeito à presença e as atividades das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). Que cometeu assassinatos , sequestros e violações de direitos humanos durante o seu décadas de insurgência contra o governo colombiano. Rebeldes das Farc são presente em ambos os lados da Colômbia e do Panamá da fronteira.

Em 2000, dois viajantes britânicos, Tom Hart Dyke e Paul Winder foram sequestrados por supostos guerrilheiros das Farc no Darién Gap , enquanto a caçavam orquídeas raras, uma planta para a qual Dyke tem uma paixão especial . Os dois foram mantidos em cativeiro por nove meses e ameaçado de morte. Antes de serem libertados sem o resgate ser pago. Dyke e Winder mais tarde relataram suas experiências no livro “The Garden Cloud”.

Outras vítimas políticas do Darién Gap incluem três novas tribos missionários, que desapareceram do Pucuro no lado do Panamá, em 1993. Em 2003, Robert Young Pelton, em missão para a revista National Geographic Adventure, e dois companheiros de viagem, Mark Wedeven e Megan Smake , foram detidos pelas Forças de Autodefesa Unidas da Colômbia.

Que é uma organização paramilitar pró-governo, durante uma semana em um incidente muito divulgado na época.

Quem já cruzou?

A primeira expedição pós-colonial para o Darién foi a Marsh Darien Expedição em 1924-1925, apoiada por vários dos principais patrocinadores, incluindo o Smithsonian Institution.

A primeira travessia de veículos da estreito foi pela Land Rover e um jipe ​​da expedição Trans-Darién de 1959-1960, tripulado por Amado Arauz (Panamá), sua esposa Reina Torres de Araúz, Richard E. Bevir (UK) e engenheiro Terence John Whitfield (Austrália). Eles deixaram Chepo, Panamá, em 02 de fevereiro de 1960 e chegaram a Quibdó, na Colômbia, em 17 de junho de 1960, uma média de 201 m  por hora em mais de 136 dias de viagem.

A primeira travessia totalmente por terra (outros haviam usados barcos para auxiliar na passagem) do Gap foi a do ciclista britânico Ian Hibell, que andava de Cabo Horn até o Alasca, entre 1971 e 1973. Hibell tomou a terra do sul para o norte via “direct”, incluindo uma travessia por terra do Atrato Pântano na Colômbia. Hibell completou sua travessia do Gap acompanhado por dois ciclista da Nova Zelândia que lhe acompanharam desde o Cabo Horn, mas nenhum deles continuou com Hibell para Alaska.

Existem outros diversos relatos sobre as travessias, infelizmente em português não tem muita coisa, inclusive esses textos foram livremente traduzidos por nós com o intuito de ajudar a divulgar o estreito de Darien em nossa língua…

Sobre o estreito de Darien

Segundo reza a lenda que contam os colombianos, os Estados Unidos atuou durante muitos e muitos anos, dificultando a construção deste pequeno trecho de estrada, já que a interligação rodoviária das Américas favoreceria o caminho das drogas e das FARC rumo ao norte do continente.

Desta forma, a melhor cidade para despachar um carro rumo ao Panamá (o primeiro país da América Central) é a colombiana Cartagena das Índias.

Inspire-se com nossos livros

Livro Viajo logo Existo Um ano na Estrada

Livro Viajo logo Existo Um Ano na Estrada (1)

R$ 65,00

Livro Viajo logo Existo no Velho Continente

Livro Viajo logo Existo no Velho Continente (2)

R$ 80,00

Livro Viajo logo Existo Um ano na África

Livro Viajo logo Existo na África Selvagem (3)

R$ 80,00

Livro Viajo logo Existo Um ano na Ásia e Oceania

Livro Viajo logo Existo Um Ano na Ásia e Oceania (4)

R$ 80,00

Nossos Parceiros

Logo Microsoft - Parceiro
Logo Smiles - Parceiro
The North Face logo - Parceiro
Logo Software One - Parceiro

Deixe seu comentário! Queremos sua opinião.

Queremos te ajudar a viajar ainda mais!

Veja nossos guias de viagem