Carro quebrado no meio da Índia

Depois de uma rápida visita ao Taj Mahal, tínhamos tudo planejado para conhecer a magia de Veranasi, só não esperávamos ter o carro quebrado no meio da Índia.

Quem diria, de todos os lugares que tínhamos passado, acho que ter o carro quebrado no meio da Índia, era o pior de todos os cenários… E foi exatamente isso que aconteceu.

Saímos de Agra, cidade do Taj Mahal e percebemos um pequeno barulho vindo da caixa de marchas, um tek tek tek que aumentava conforme colocávamos mais rotação no motor e sumia em quarta marcha.

Cientes de que poderíamos ter algum problema no carro, pensamos: vamos para Varanasi, que com uma população de mais de 1 de habitantes, deve ter todos os tipos de serviço que você pode precisar. So que não. Levamos dois dias para percorrer os 700km que nos separavam. Chegando lá já pedimos ajuda ao gerente do hotel sobre mecânicas, autorizadas Land Rover e qualquer coisa do gênero.

Não demorou muito para entender que estávamos no lugar errado. Conseguimos um muquifo para trocar o óleo da caixa e pudemos constatar que pela cor, algo não estava legal… conversamos com dois mecânicos e ambos disseram que não saberiam como abrir e fechar a caixa de cambio, ou seja, não tínhamos opção.

Por fim descobrimos uma concessionária Land Rover uns 400km de Varanasi, eles tinham acabado de abrir e apesar de não existir o Defender, modelo do nosso carro, no país, eles toparam no ajudar…

O famoso Taj Mahal, antes do nosso carro quebrar

Já que estamos em Varanasi…

Varanasi é famosa por estar situada as margens do Rio Ganges, rio considerado sagrado para os Hindus. Portanto é na beira dele que diariamente acontecem diferentes cerimônias religiosas.

Esse é basicamente o motivo porque as pessoas visitam a cidade, para poder ver isso tudo acontecendo… sabendo que teríamos que ir embora, conseguimos pelo menos ir no final de tarde ver um pouco mais da vida por lá!

Apesar de todo mundo falar dos rituais de cremação, de ver corpos flutuando pelo rio, não vimos nada disso…ainda bem! Por ser fim de tarde, estavam acontecendo algumas cerimonias e todas super legais, com muitas pessoas em volta, que pareciam estar rezando.

Ah, o unico motivo para nossa pressa toda, é que tínhamos data marcada para entrar em Mianmar, junto com um grupo, onde já tínhamos pago nossa parte… se não chegássemos perderíamos nossa parte em $$$, teríamos de aplicar para uma nova permissão, que custaria mais de mil dólares, e teríamos problema com nosso visto na Índia.

Uma coisa é sempre certa na Índia, você não estará sozinho.

Chegamos em Varanasi com o carro fazendo barulho

Carro quebrado em Lucknow na Índia

Depois de quase 120mil quilômetros rodados pelo mundo, era de se esperar que o carro começasse a dar alguns problemas.

Mas tudo que não queríamos era que ele quebrasse justo na Índia. E sabe por que? Porque tudo é uma loucura por lá, sempre muita gente, bagunçado e infelizmente pouco organizado. O lado bom é que é seguro e as pessoas possuem bom coração… Contudo, nesse momento só queríamos um bom mecânico, pode ser?

Depois de alguns dias em Varanasi buscando um mecânico, fomos obrigado a dirigir 400km até uma cidade chamada Lucknow, e como estávamos com problemas na caixa de câmbio, fizemos todo o trajeto somente em quarta marcha, não passando de 65km/h – ou seja, levamos um dia todo!

Foi um teste de paciência, mas fazer o que? No sentimos como o Ayrton Senna em 93 (acho) quando ele foi perdendo as marchas, rs!

Lucknow não é uma cidade que visitaríamos se tivéssemos escolha. Mas lá achamos uma concessionária Land Rover, recém aberta e uma boa alma disposta a ajudar. A oficina era novinha, tudo limpinho!

Como já era esperado, era a caixa de câmbio. Algo complexo e que eles teriam que abrir para ver o tamanho do problema.Só isso levou mais de 1 dia.

Ai descobrimos que eram apenas os rolamentos, mas, eles não tinham as peças que precisávamos e tivemos que encomendar na Inglaterra. Eram simples rolamentos para a caixa de cambio, mas mesmo depois de uma busca pela cidade, não conseguimos nada!

Entre buscar pela cidade alguém que tivesse os rolamentos ou pudesse fazer, foram mais dois dias. Ainda perdemos um dia inteiro para descobrir que peças pedir na Inglaterra, já que se pedíssemos as peças erradas, seria nosso fim. Nosso visto venceria até chegarem as peças novas e teríamos de abandonar o carro.

Conseguimos um hotel sujinho perto da LR e tivemos que esperar uma semana pelas peças. O que não seria um problema se não tivéssemos de estar na fronteira de Mianmar para encontrar o comboio que tínhamos dividido os altos custos da permissão em Mianmar.

Fora isso estava muito mal da barriga e não podia comer quase nada… Pedíamos pizza da Domino’s todos os dias.

Acabei comemorando meu aniversario por lá mesmo, na concessionária Land Rover, teve até bolo!

Carro quebrado e ninguém sabia como conserta-lo.

O dia que chegaram nossas peças da Inglaterra.

A turma que nos ajudou com o carro quebrado

Finalmente as peças chegaram

Depois de uma semana esperando as peças e a ansiedade nos matando, as peças chegaram e eram as peças certas. Nossos amigos indianos ainda levaram 3 dias para montar a caixa de câmbio de volta.

Cada dia que passava nossa ansiedade e cansaço de estar na Índia aumentavam.

Nem acreditamos quando nos entregaram a chave do carro. Colocaríamos ele no limite para chegarmos a fronteira de Mianmar.

Apressados, seguimos rumo ao país, um país relativamente fechado e burocrático, existia uma grande chance da nossa permissão dar problemas…. se isso acontecesse, estaríamos lascados!

Precisaríamos aplicar para uma nossa permissão, que custaria pelo menos uns 2 mil dólares, e teríamos grande chance de expirar nossos vistos da Índia, que ai, eu nem quero pensar o que teria acontecido com a gente, seria a maior dor de cabeça do mundo!

Na estrada desde bem cedo.

O que não faltaram foram contratempos com os bloqueios

Consegue ver o Leo na imagem? 

Não tínhamos outra opção senão dirigir, dirigir, dirigir

Não nos restava outra coisa a não ser pedir para o nosso contato em Mianmar persuadir o governo a nos deixar entrar com a nossa permissão e acelerar nas péssimas estradas do leste indiano.

Nossa meta era cair na estrada bem cedo e dirigir até o final do dia, antes de escurecer. Teve dia que em doze horas cruzamos algo como 250km, neblina, carro na contramão, animais, bloqueios policiais, que estresse.

Chegávamos no final do dia acabados, e como estávamos em lugares bem poucos turísticos, não era nada fácil achar um lugar em que pudéssemos descansar bem, comer bem, dar uma recarregada na energia… Com o passar dos dias nossos corpos foram sentindo o cansaço…

Mas como sempre, com muita paciência, bom humor e planejamento, deu certo!

Demoramos 4 dias para cruzar 2.000 quilômetros na Índia.

Conseguimos sair da Índia em tempo de nosso visto não vencer e entrar em Mianmar, país de número 64 em nossa volta ao mundo!

O oficial do governo que deveria ir dentro do nosso carro, também estava cansado de 4 dias dormindo na fronteira, nos esperando.

Deu trabalho, mas não era a hora de desistir, ou melhor, nem tínhamos escolha.

Inspire-se com nossos livros

Livro Viajo logo Existo Um ano na Estrada

Livro Viajo logo Existo Um Ano na Estrada (1)

R$ 65,00

Livro Viajo logo Existo no Velho Continente

Livro Viajo logo Existo no Velho Continente (2)

R$ 80,00

Livro Viajo logo Existo Um ano na África

Livro Viajo logo Existo na África Selvagem (3)

R$ 80,00

Livro Viajo logo Existo Um ano na Ásia e Oceania

Livro Viajo logo Existo Um Ano na Ásia e Oceania (4)

R$ 80,00

Nossos Parceiros

Logo Microsoft - Parceiro
Logo Smiles - Parceiro
The North Face logo - Parceiro
Logo Software One - Parceiro

Deixe seu comentário! Queremos sua opinião.

Queremos te ajudar a viajar ainda mais!

Veja nossos guias de viagem