Home – Europa – Grécia – Post.

Maravilhados com a ilha de Santorini na Grécia

Enquanto estávamos em Atenas discutimos muito para qual ilha ir… afinal, nao é uma decisão fácil entre tantas ilhas. Mas estávamos maravilhados com a ilha de Santorini na Grécia e foi pra lá que resolvemos ir.

Após um fim de semana agradável no sul da Grécia na companhia dos nossos amigos gregos, ainda tentávamos decidir para qual ilha grega deveríamos ir. São centenas delas, e segundo eles, todas muito bonitas!

Porém, como era nossa primeira vez no país, optamos por ir conhecer a ilha de Santorini na Grécia, talvez a ilha mais famosa junto com Mikonos.

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

Como chegar na ilha de Santorini na Grécia

Compramos os tickets da balsa próximo da casa deles. Custou 38 euros cada um, 8 horas de barco, o único inconveniente era o horário de partida: 7:25hr da manhã. Gentilmente eles se ofereçam para nos levar.

O plano era deixarmos nosso carro na casa deles, fazer uma pequena malinha com somente o necessário e ficar três dias na ilha. Na manhã seguinte lá fomos nós, acordamos as seis da manhã, horário que fazia tempo que não despertávamos e seguimos meios sonolentos para o porto.

Ao chegarmos ao portão 7 percebemos que éramos uns dos últimos a embarcar. Mesmo chegando meia hora mais cedo que a partida. Todos os assentos internos, mais confortáveis e com ar- condicionado, estavam ocupados. Sobrando somente as mesas no deck semi-aberto, onde bate muito vento.

Por sorte o dia estava lindo e o vento agradou mais do que atrapalhou. Uma viagem noturna nessas condições precisaria de uma boa roupa para se proteger do frio!

Alguns momentos do caminho até o Parque Nacional Torres del Paine, Chile.

Chegada e o primeiro presente de Santorini

A viagem foi longa mais tranquila, paramos em Milos no caminho, uma linda ilha e que rendeu boas fotos do barco mesmo. Por volta das 3 da tarde aportamos na ilha de Santorini na Grécia. Tínhamos reservado um hostel baratinho (40 euros por noite) em Fira, principal cidade da ilha.

Do porto pegamos um ônibus por 2 euros cada até o terminal de ônibus em Fira. Lá fizemos contato com uma simpática senhora que arranhava o inglês e descobrimos que nosso hostel não estava longe. O clima estava ótimo, muito sol e sem nenhuma nuvem no céu!

Com o sol ainda brilhando no céu, largamos tudo no nosso hotel e caminhamos para Fira para ver o nosso primeiro pôr-do-sol em Santorini. Nossa primeira impressão de Fira foi muito positiva. Não somente pelo visual da baía toda, mas pelas ruelas, as pessoas, cheia na medida certa.

Em busca de alguns ângulos mais exclusivos para fotografar caminhamos para esquerda (olhando para o mar) e acabamos encontrando diversa ruelas sem ninguém. Tudo pintadinho em branco, com aquela famosa e tradicional arquitetura de Santorini.

Sentamos ali e esperamos o astro rei descer delicadamente no horizonte, seguros que fizemos a decisão certa em vir para Santorini!

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

Como desbravar a ilha Santorini na Grécia

Acordamos de nossa primeira noite em Santorini meio cansados do dia anterior. Achamos que foi o tempo no barco, do sobe e desce em Fira e talvez dos 3 meses de viagem intensa pela Europa, ou talvez dos 16 meses de viagem de carro.

São muitos motivos para explicar o porque nosso corpo está pedindo um descanso, rs! Levantamos da cama sem pressa, até que as baterias tivessem um pouco mais recarregadas.

A ilha de Santorini na Grécia é uma ilha grande. Entre o norte e o sul da ilha existe mais de 15km de estradas com muito sobe e desce, sendo impossível fazer isso a pé. Ainda mais com o calor infernal do verão.

Por conta disso resolvemos alugar um quadriciclo e explorar a ilha sobre 4 rodas, uma versão menor do nosso Coyote, hahaha. Vimos muitos deles pela ilha toda, existe diferentes modelos e tamanho, optamos pelo o mais em conta, 50 cilindradas, 25 euros por dia! Um dia era o que precisávamos para dar uma boa volta pela ilha e la fomos nós!

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

Ilha de Santorini

De quadriciclo por Santorini

Munidos de nosso quadriciclo, colocamos nossos capacetes e saímos para explorar Santorini sentindo o vento bater no rosto. Logo ao sair de Fira não fomos nem para o sul nem para o norte, mas sim para leste, ver como são as praias do outro lado da ilha.

Como já havíamos visitados diversas praias com areia preta na América Central não ficamos surpresos. Uma grande faixa de pedras e areia escura contrastando com o mar frio e azul.

Sinceramente essas praias não são bonitas, são interessantes, mas não bonitas, muitas praias do Brasil dão de dez a zero! Brinco que Santorini possui praias bonitas de longe, mas de perto….

Quando se olha o contexto todo, o mar azul, a praia preta, as construções, tudo ganha uma belo sentido! Contudo, paramos nosso possante e nos esticamos por um tempo nas pedras para sentir o escaldante sol antes de seguir viagem para Oia no extremo norte da ilha.

Estávamos contando os minutos para ver os belos cenários holandeses.

Nossos planos em Santorini

Nosso plano era simples e claro, dirigir pelas praias do lado leste da ilha, aproveitar a região de Oia a tarde e então ver o mais famoso pôr do sol da Grécia e talvez da Europa, no extremo norte da ilha!

Chegamos em Oia e por ser após o almoço a cidade ainda estava “dormindo”, tudo muito tranquilo, lojas fechadas… Tínhamos lido sobre uma praia que fica em Oia chamada Armenis. Muito bonita porém para chegar até ela é preciso descer quase 300 degraus e claro, subir depois, rs!

Contudo como estamos aqui, não pensamos duas vezes e devagar fomos um a um ganhando terreno. Com o sol ainda brilhando forte no céu aproveitamos aquela pequena baía de águas claras e temperatura agradável!

Como nosso plano era ver o pôr do sol, no final da tarde lá fomos nós novamente agora subir todos os degraus. Muitos turistas sobem no lombo do burrinho, uma tradição de centenas de anos, porém não gostamos muito desse tipo de exploração e como sempre, optamos por subir a pé. Olha, é puxado, ainda mais com a nossa mochila contendo máquina e lentes, sem falar do calor, chegamos lá em cima pingando e sem ar, rs!

Pôr-do-sol em Oia, Santorini

Com o relógio correndo contra, seguimos sentido norte para a ponta da ilha e então ver o sol descer no mar. Porém parece que esse era o plano de toda a Grécia, todas as ruas estavam lotadas de turistas com a mesma ideia, parecia final de campeonato brasileiro de tanta gente…

Respiramos e fomos com calma até se encaixar no meio da multidão e esperar o astro rei descer gentilmente no oceano. Assim que o sol se pôs rolou uma salva de palmas pelo espetáculo!

Sinceramente, o pôr-do-sol na ilha de Santorini na Grécia é lindo, porém os que vimos na América Central, na França ou mesmo no Chile não deixam nada a dever…

Estávamos contando os minutos para ver os belos cenários holandeses.

Estávamos contando os minutos para ver os belos cenários holandeses.

Estávamos contando os minutos para ver os belos cenários holandeses.

Último dia nesse paradisíaco lugar chamado Santorini

Era chegado o nosso último dia em Santorini, acordamos cedo e curtimos piscina do hostel, um luxo comparado ao dia a dia da nossa viagem. Nossa saída deveria ser feita até as 13hrs, porém nossa balsa saia somente as 22hrs da noite, onde navegaríamos por 8 horas até Atenas.

Diante disso optamos por ficar por perto, na região de Fira, até porque o dono do hostel nos levaria ate o porto as 20:30hr, ótimo! Mesmo depois de entregar o quarto ficamos por quase duas horas na recepção usando a internet. Aproveitamos para dar uma boa atualizada no site e finalizamos algumas pendências do livro, entrega, caixas, essas coisas…

Com algumas horas ainda para gastar antes da balsa, deixamos nossas coisas no hostel e caminhamos até o centro de Fira. Nossa ideia era não fazer muita coisa para não ficar suado, sujo e ainda ter que ficar a noite toda tentando dormir no deck do barco. Melhor, se poupar, rs!

Achamos uma sorveteria com uma bela vista de toda a ilha e lá ficamos, como sempre fizemos amizade com o garçom. Aliás, ele pensou que éramos loucos quando lhe falamos da viagem.

Como não havia muitas pessoas no estabelecimento, ele ficou um bom tempo conversando com a gente e explicou que no inverno venta muito na ilha, e que não é uma boa época para visita-la, inclusive com muitos lugares fechados! O papo estava bom mas tínhamos que seguir em frente, comer algo e seguir viagem, hoje de barco!

Estávamos contando os minutos para ver os belos cenários holandeses.

Hora de voltar para Atenas

Comemos um tradicional giros pelo centro da cidade, e voltamos para o hostel, uma vez que já passava das 19hrs. Por precaução passamos na pequena rodoviária e vimos qual era o horário do último ônibus. Só em caso do dono do hotel dar uma de louco e resolver sumir ou qualquer coisa do gênero. Porém lá para as 20:40hr ele resolveu nos levar e deu tudo certo!

O que não esperávamos era que iríamos passar a noite no ambulatório da balsa, mas isso é assunto para o próximo post!

Inspire-se com nossos livros

Livro Viajo logo Existo Um ano na Estrada

Livro Viajo logo Existo Um Ano na Estrada (1)

R$ 65,00

Livro Viajo logo Existo no Velho Continente

Livro Viajo logo Existo no Velho Continente (2)

R$ 80,00

Livro Viajo logo Existo Um ano na África

Livro Viajo logo Existo na África Selvagem (3)

R$ 80,00

Livro Viajo logo Existo Um ano na Ásia e Oceania

Livro Viajo logo Existo Um Ano na Ásia e Oceania (4)

R$ 80,00

Nossos Parceiros

Logo Microsoft - Parceiro
Logo Smiles - Parceiro
The North Face logo - Parceiro
Logo Copa Airlines - Parceiro
Logo Software One - Parceiro

Deixe seu comentário! Queremos sua opinião.

Queremos te ajudar a viajar ainda mais!

Veja nossos guias de viagem