Home – África – Tanzânia – Post.

A mistura única da ilha de Zanzibar

Optamos por incluir Zanzibar na nossa viagem, pois estávamos com nossa família nos visitando aqui na Tanzânia. Nossa ideia era poder mostrar a mistura única da ilha de Zanzibar.

Depois de visitarmos alguns parques pela Tanzânia, entre eles Ngorongoro Crater, Lake Manyara e Mikumi National Park era hora de relaxar e aproveitar uma praia. Para isso, nada melhor do que a paradisíaca ilha de Zanzibar.

Zanzibar faz parte da Tanzânia, fica no oceano Índico e é uma ilha relativamente grande, com mais de 1 milhão de habitantes.

O turismo é bem desenvolvido por lá. Há hotéis para todos os bolsos, você pode ficar na capital Stone Town ou em alguma das diversas praias.

As praias do norte estão entre as mais famosas o que quer dizer hotéis relativamente mais caros também. Como estávamos com toda a família optamos por ficar na Praia de Uroa, no hotel, Uroa Beach Resort.

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

Curtindo a praia em Zanzibar

O hotel é bem família, tem infraestrutura boa, piscina, o café da manhã é bom e o restaurante a la carte tem boas opções por preços bem razoáveis. Optamos por ficar 4 dias em Zanzibar e foi ótimo!

Eu e minha mãe tomamos bastante sol, conversamos bastante, lemos muito, o Arthur aproveitou bastante a piscina e nós também aproveitamos ele!! Foi muito bom!!

Além de aproveitar a praia na frente do hotel também é possível ir fazer mergulho, há passeios de barco, você pode ir até outras praias e por ai vai. Acaba que tudo é muito caro, então para quem quiser economizar, o negócio é escolher um hotel legal e curtir o lugar.

Alguns momentos do caminho até o Parque Nacional Torres del Paine, Chile.

Uma incrível surpresa em Zanzibar

Depois de alguns dias relaxando no hotel, nosso plano era visitar um pequeno restaurante que fica em uma ilhota, o The Rock e de lá seguir para a capital Stone Town.

Esse pequeno restaurante fica uma pequena ilha e virou atração turística por causa da sua deliciosa comida e por estar rodeado de um mar azul turquesa sem igual.

Aproveitamos que era aniversário da minha mãe e fizemos a reserva nesse restaurante que tem menos de 20 mesas.

Chegamos no horário na praia, tiramos nossos sapatos, entramos no pequeno barquinho que te leva até a ilha.

Tínhamos feito reserva pois há apenas alguns lugares e geralmente está cheio. Fomos recebidos pelo dono, uma franco italiano e para nossa surpresa, ao chegarmos por lá éramos os únicos no lugar.

Aproveitamos para sentar, comer e aproveitar tudo com calma. Aos poucos mais pessoas foram chegando e de repente o pequeno restaurante estava abarrotado.

As pessoas se amontoavam na pequena varanda tentando achar uma melhor posição para tirar foto.

Na verdade o que muita gente faz é chegar cedo, sentar ali fora, beber algo e depois partir para o almoço. Como estávamos com o tempo meio limitado, acabamos aproveitando mais a comida do que o lugar.

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

A capital Stone Town

Quando se visita a ilha de Zanzibar seu ponto inicial é a capital Stone Town. Chegando de avião ou de barco, esse será seu ponto de partida antes de seguir para alguma praia.

Apesar de muitas pessoas passarem direto nós resolvemos gastar pelo menos um dia por lá e conhecer um pouquinho mais da cidade.

Zanzibar foi um importante centro de comércio entre a costa da África e o Oriente Médio, por isso a cultura árabe é predominante. A população é 90% muçulmana e apesar de pertencer a Tanzânia ainda existe uma linha de governo que gostaria de tornar a ilha independente.

Por isso é bom evitar sua viagem em época de eleições (no caso esse ano de 2015).

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

A caminho de Punta Arenas, no meio do nada – Chile.

Uma experiência diferente em um palácio

Essa influencia árabe também está na arquitetura e na comida e por isso optamos por ficar no Emerson Spice, um hotel construído em um dos palácios do sultão.

O hotel está no meio do centro histórico, que inclusive é Patrimônio da Humanidade. Você caminha por pequenas ruelas, passa por mesquitas, lojas de especiarias, lojas de artesanato, uma bela mistura de África e cultura árabe.

Vimos as crianças brincando, saindo da escola, o dia a dia das pessoas, algo que sempre gostamos de ver quando estamos em um novo lugar. No geral a ilha é bem pobre e o contraste com os hotéis de luxo é gritante.

O hotel tem um restaurante na cobertura e um jantar delicioso, com muito tempero e influências locais. Mesmo se não se hospedar no hotel, vale ir jantar lá um dia.

Geralmente as pessoas vão as 6 da tarde, para ver o por do sol, e já ficam para o jantar as 8pm. O menu degustação são 5 pratos, então vá com fome.

Nossa sensação é que fechamos com chave de ouro nossa visita e conseguimos ver a mistura única da ilha de Zanzibar.

Hora da despedida

Depois de vinte dias com minha mãe e meu sobrinho aqui conosco, era hora de eles partirem. Voltamos de Zanzibar para Dar es Salam de onde eles pegariam um voo para São Paulo com escala em Addis Abba, na Etiópia.

Foi muito difícil ter que nos despedirmos de novo, mas sempre tento lembrar que preciso ficar feliz porque eles vieram e não triste porque eles foram embora… afinal, a viagem tem que continuar.

Estávamos contando os minutos para ver os belos cenários holandeses.

Nossos Parceiros

Microsoft_Home

Deixe seu comentário! Queremos sua opinião.

Queremos te ajudar a viajar ainda mais!

Nossos guias de viagem
Seja o primeiro a receber os guias de viagens feito por quem já rodou o mundo inteiro atrás de dicas, curiosidades e muito mais...
Quero receber dicas...
                                                                                                                      *não leva nem um minuto...
close-link