Dicas para ver e fotografar a aurora boreal na Islândia

A decisão de visitar a Islândia foi tomada há um mês e meio. Exatamente no dia que vimos a Aurora Boreal no Alasca.

Parecia que o Leo estava extasiado. Como tínhamos uma viagem programada para Portugal nas próximas semanas não teria como convencê-lo de que não iríamos para a Islândia, mesmo sendo o país mais caro do mundo. 

 

 

Tudo pela Aurora… 

A questão é que nunca é garantido que você vai vê-la… Dizem que se você ficar 5 dias em Fairbanks ou 5 dias na Islândia tem grandes chances de você ver esse espetáculo da natureza! 

De qualquer forma, compramos as passagens. Uma mega logística porque queríamos gastar o mínimo possível. Então, compramos com milhas da TAP de Lisboa para Genebra e de Easyjet (uma empresa low cost da Europa) de Genebra para Reiquiavique, na Islândia. 

A Islândia tem muitas belezas naturais. São mais de 15 vulcões ativos que entraram em atividade no último século. O país tem o maior glacial da Europa, é capital mundial das cachoeiras, tem uma placa tectônica que passa por aqui e é um dos únicos lugares do mundo onde você pode avistá-la. Além dos túneis de lava, ventos de arrancar portas dos carros, mais de 600 termas e tudo isso só no campo da natureza. 

Além das belezas naturais, tem a parte de desenvolvimento. Como deixou de ser um dos países mais pobres da Europa para se tornar um dos países mais desenvolvidos do mundo. 

Mesmo com a crise que abalou o sistema financeiro do país, onde os três maiores bancos privados tiveram que ser estatizados, o país continua com uma qualidade de vida incrível e no topo dos rankings. 

O voo para chegar foi tranquilo, apesar de termos ouvido que geralmente tem muita turbulência por causa do vento. Compramos um Sim Card no aeroporto, custou 30 usd com 10GB. Baixamos todos os aplicativos necessários, pegamos o carro alugado e seguimos para o Airbnb. 

Esse primeiro dia foi meio perdido, faríamos mercado e no dia seguinte começaríamos a jornada. 

Nosso Airbnb era simples, mas com tudo que precisávamos. O frio sinceramente é assustador. Andamos até uma Domino’s para jantar e gastamos 20 usd em uma pizza média, voltamos rapidinho para nos aquecer e descansar. A semana será longa. 

Aurora boreal na Islândia

Quando eu já estava de pijama, quentinha na cama, o Leo simplesmente falou: “Chel, coloca sua roupa que vai ter Aurora!” 

Se ele falou isso é porque ele checou todos os aplicativos de Aurora, mais a previsão do tempo, viu que a visibilidade estava boa e estava confiante que veríamos. 

Nem questionei. Em cinco minutos estava com todos os casacos, duas calças, pronta para o que der e viesse. Quem viu o post do Alaska sabe que ficamos muitas horas esperando a Aurora acontecer. Na Islândia achamos que não seria diferente.  

Seria uma noite longa e cansativa mas que valeria a pena se a Aurora desse o ar da graça. 

Assim que abrimos a porta da casa no pequeno vilarejo de Keflavik já vimos o céu verde! Não acreditamos! Era muito bom pra ser verdade. Dirigimos duzentos metros e já paramos o carro na beira do lago que tinha um barco e não tivemos dúvida sobre onde íamos ficar.  

Leo preparou o tripé, máquina e começou os disparos. Apesar do frio o visual era tão lindo que não conseguíamos voltar para o carro… Comparado com a vez que vimos do Alasca, que demorou horas e horas, aqui foi assim. Simplesmente colocamos o nariz para fora de casa e estava lá, sensacional! 

Algumas dicas para fotografar a aurora boreal

Para quem está pensando em visitar algum lugar onde o céu fica verde durante a noite, separamos algumas dicas. 

Primeiro:

É frio, muito frio, sua mão vai congelar! E até dá para retratar com a go pro e com telefone (não sou especialista mas já ouvimos falar de alguns tutoriais no youtube). Talvez até saia alguma coisa, mas vai ter muito ruído e granulado. 

Segundo:

Esqueçam o flash e já anotem ai – Flash serve para iluminar coisas que estão perto de você. A maioria deles tem um alcance de alguns metros. Logo, tudo que estiver mais longe do que isso, não serve para nada. 

Terceiro:

Bom, já disse que tem que estar bem escuro, logo precisamos de uma câmera que tenha recursos para retratar ambientes com mínima luminosidade. Para isso você pode aumentar o ISO da câmera (vai aumentar o ruído na foto) ou aumentar a exposição (tempo que você deixar o sensor recebendo luz). Enfim, minha sugestão é: câmera com controle de funções (Iso, abertura, velocidade), não precisa ser profissional, e um tripé firme. A lente, sem entrar em muitos detalhes, pode ser qualquer uma.  

Quarto:

Câmera no tripé, bem firme, coloque o ISO em 800, abertura (F/) em algo próximo de 4, obturador em 10 segundos para começar. Atenção no foco. Eu sugiro que coloque ele no manual e trave em algo próximo do infinito.  

Eu faço algumas fotos rapidinho para já ajustar o foco. Sempre aproximando no visor e conferindo. Depois o negócio é começar a ajustar as configurações acima, um pouco para mais, um pouco para menos até achar o que te agradar. 

Espero que tenha ajudado – esse passo a passo é o mesmo para fotografar estrelas. Todas essas fotos foram feitas em menos de 30min. Portanto, é importante treinar bem, para ser bem rápido na hora que precisar! 

 

 

Aplicativos que usamos para monitorar a aurora boreal na Islândia e no Alasca:  

My Aurora Forecast & Alerts 

Northern Lights Forecast & Aurora Borealis Alerts 

Site para ver visibilidade aqui na Islândia 

Icelandic Met Office – Clique em Cloud Cover na esquerda 

Veja também

Aurora boreal no nosso primeiro dia na Islândia

Antes de irmos para a Islândia, saímos de Lisboa às 6 da manhã. Depois de …